Blog do Lyra
Quem procura…

Quem procura…

Poema à boca fechada 


Não direi: 
Que o silêncio me sufoca e amordaça. 
Calado estou, calado ficarei, 
Pois que a língua que falo é de outra raça. 

Palavras consumidas se acumulam, 
Se represam, cisterna de águas mortas, 
Ácidas mágoas em limos transformadas, 
Vaza de fundo em que há raízes tortas. 

Não direi: 
Que nem sequer o esforço de as dizer merecem, 
Palavras que não digam quanto sei 
Neste retiro em que me não conhecem. 

Nem só lodos se arrastam, nem só lamas, 
Nem só animais bóiam, mortos, medos, 
Túrgidos frutos em cachos se entrelaçam 
No negro poço de onde sobem dedos. 

Só direi, 
Crispadamente recolhido e mudo, 
Que quem se cala quando me calei 
Não poderá morrer sem dizer tudo.

Poder…

Poder…

gabrielmourajs:

Ai… que oooodio dá, olhar isso !!! u.u
Credo#  que tipo de bruxaria é essa ?

gabrielmourajs:

Ai… que oooodio dá, olhar isso !!! u.u

Credo#  que tipo de bruxaria é essa ?

Mário Quintana - Ah! O Amor… - Texto Maravilhoso! 

http://www.youtube.com/watch?v=yYkV-1pER1g&feature=related 

morremos de morte igual,

mesma morte severina:

que é a morte de que se morre

de velhice antes dos trinta,

de emboscada antes dos vinte,

de fome um pouco por dia

(de fraqueza e de doença

é que a morte severina

ataca em qualquer idade,

e até gente não nascida).

Lavando roupa suja…Com classe!

Lavando roupa suja…Com classe!

 Caiu Canudos, em 5 de outubro de 1897, “ao entardecer, quando caíram seus últimos defensores, que todos morreram. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosamente cinco mil soldados. (…) No dia 6 acabaram de destruir desmanchando-lhes as casas, 5.200, cuidadosamente contadas. (…)”

    “Antes, no amanhecer daquele dia, comissão adrede escolhida descobrira o cadáver de Antônio Conselheiro. (…) Desenterraram-no cuidadosamente. Dádiva preciosa (…)! Fotografaram-no depois. (…)”. Cortaram-lhe a cabeça. “Trouxeram depois para o litoral, onde deliravam multidões em festa, aquele crânio. (…) Ali estavam (…) as linhas essenciais do crime e da loucura…”

“Eu acredito em Deus, mas não como uma coisa, não como um velho no céu. Creio que o que as pessoas chamam de Deus é algo que está em todos nós. Acredito que o que Jesus, Maomé, Buda e outros disseram está certo. São as traduções que foram erradas.”
John Lennon

Se você procura alguém coerente, sensata, politicamente correta, racional, cheia de moralismo… Equeça-me! Se você sabe conviver… com pessoas intempestivas, emotivas, vulneráveis, amáveis, que explodem na emoção: acolha-me.”

Clarice Lispector